segunda-feira, 24 de julho de 2017

Brincar na Lama: engenheiro alemão monta versão bruta da Mercedes Classe E Wagon All Terrain




Na segunda metade dos anos 1990 as Cross Wagons faziam o maior sucesso. A Subaru foi a primeira a investir no segmento com a Legacy Outback, logo em seguida a Volvo lançou a linha Cross Country e a Audi com a A6 All Road Quattro. No Brasil, a Palio Weekend Adventure e a Parati Crossover tornaram sinônimo deste nicho, que logo foi tomado pelos Crossover e SUVs compactos encerrando de vez a era das wagons com vocações de todo terreno. Mas na Europa o mercado parece vivo, basta vermos a robusta MercedesClasse E All Terrain 4X42, que tem em seu DNA o gene 4X4X2 da ClasseG 500.




O projeto do modelo é do engenheiro Jürgen Eberle, que desenvolve projetos sob os modelos da Classe E, e teve início seis meses atrás. Primeiramente, Eberle decidiu aumentar a distância entre a carroceria e o solo em apenas 40 milímetros em seguida o engenheiro achou que poderia dar um passo a diante: montar o modelo sob a plataforma do Classe G. O trabalho com esta experiência parecia difícil, então Eberle pediu ajuda de alguns colegas que investiram no nascimento do Classe E All Terrain 4x42.





Perto da versão convencional da Classe E Wagon, o All Terrain 4x42 parece um monstro. A perua ficou 200 milímetros mais larga, graças aos novos para-lamas feitos em de fibra de carbono, e ficou 400 milímetros mais distante do solo, quase o triplo do All Terrain original, que é de 160mm. Se por fora o modelo se comporta de forma rústica, internamente o luxo típico dos Mercedes-Benz continua quase que intocado.    



As mutações feitas no modelo são capazes de fazer a alegria de vários condutores. O modelo é capaz de vencer obstáculos como caminhos rochosos, troncos caídos, rios com pequenas profundidades, arbustos, descidas íngremes e outros desafios que são ultrapassados com facilidade pelo 4X42 . Tudo isso graças ao auxílio das rodas de 20 polegadas aliadas ao sistema de tração 4x4 controlada eletronicamente, que contribuem para a aderência da station ao solo e que em nada deve aos SUVs maiores com vocações off-road da Mercedes e de outros fabricantes.    




O 4X42 é movido a um motor 3.0 a gasolina, diferente dos All Terrain convencionais, que têm somente opções de motores a diesel, o que contribui para que não falte torque para enfrentar terrenos menos amistosos. Diferente dos modelos de linha, o All Terrain 4X42 não possui bloqueios mecânicos de diferenciais aliado ao câmbio de baixa relações faz o modelo equiparar-se em desempenho a off-roads maiores.



As peripécias que Eberle e seus amigos fizeram no Classe E All Terrain, parecem ter animado a diretoria da Mercedes, que pensa seriamente em produzir um pequeno lote do experimento para coloca-los à venda, sem contar interessados de todo o mundo em adquirir o 4x42, talvez por saudosismo das station-wagons desbravadoras de décadas atrás, ou por fiéis apoiadores da causa Save the Wagons!    





Nenhum comentário: