terça-feira, 1 de agosto de 2017

Preto é a cor: Bentley apresenta série Black Edition para Flying Spur V8 S



A disputa pelo melhor automóvel do mundo movimenta o mercado de alto-luxo. Semana passada a Rolls-Royce revelou a nova geração do Phantom, modelo top da marca inglesa que tem a pretensão de conquistar o título. Mas a Bentley também quer se firmar no páreo. E para isso incrementou o Flying Spur V8 S e apresentou a Black Edition, série especial com itens de esportividade, mas sem desgarrar do conforto típico dos carros da terra da rainha.



O nome da série se reflete nos detalhes do painel em black piano e nos revestimentos em couro dos estofamentos do interior em tom preto e vermelho, assinados pela Mulliner, emblema de luxo dos Bentley. Além de outros tons escuros presentes na carroceria, como nas máscaras negras dos faróis, nos retrovisores, nas rodas de 21 polegadas, vidros dianteiros e traseiros.  A carroceria pode vir em todos os tons disponíveis pela paleta da marca.





Sob o capô, repousa um 4.0 twin-turbo V8, capaz de emanar uma potência de 521 cavalos, acelerar de 0 a 100 Km/h em 4s6 e chegar aos 305 Km/h. As trocas são feitas por um câmbio ZF de oito velocidades. A Bentley só não divulgou o preço desta nova joia da casa de Crewe, nem quantas unidades serão produzidas, mas estima-se que o valor fique próximo dos 200.000 euros.   





Adeus GM: Opel/Vauxhall se une ao Grupo PSA


Agora é oficial! A alemã Opel e a inglesa Vauxhall, marcas que há mais de oito décadas eram os braços da GeneralMotors na Europa, pertencem ao Grupo PSA (Peugeot-Citroën). A soma do grupo com os dois novos emblemas será responsável por 17% da fatia do mercado automobilístico europeu, além de abrir as portas à expansão dos modelos fabricados por ambas marcas.

O anuncio foi feito pelo presidente do Grupo PSA, o português Carlos Tavares, que acrescentou em sua fala que ambas continuaram com suas unidades nos países de origem, apenas o controle ficará a cargo do grupo francês: “Estamos a testemunhar o nascimento de um verdadeiro campeão europeu. Vamos acompanhar o regresso da Opel e da Vauxhall aos lucros e, juntos, queremos fixar novas referências na indústria. Vamos libertar o poder destas marcas icônicas e o enorme potencial dos seus atuais talentos. A Opel permanecerá alemã e a Vauxhall permanecerá britânica. Ajustam-se na perfeição ao nosso portfólio atual de marcas francesas Peugeot, Citroën e DS Automobiles”, afirmou Tavares.

A curto prazo, está prevista a apresentação de um novo plano de atuação, com o objetivo de alcançar uma margem operacional de 2% em 2020 e de 6% em 2026. O Grupo PSA e a Opel/Vauxhall firmaram parceria desde 2012. Desta joint-venture, nasceram o Crossland X e o Grandland X, que será lançado em breve na Europa, além do sucessor do pequeno furgão Combo e da próxima geração do Corsa europeu, prevista para 2019.

O presidente também assegurou que as marcas continuaram a desenvolver projetos em conjunto com a GM, aliança importante sobretudo na questão de motores elétricos e dando continuidade aos modelos da Holden e Buick, que compartilhavam a plataforma com a Opel.        


segunda-feira, 31 de julho de 2017

Para Arremate!: Ford leiloa super versão da F-150 Raptor inspirada no caça F-22




Há 100 anos a Ford apresentava ao mundo a primeira picape, baseada no lendário Ford T, primeiro automóvel do mundo feito em larga escala e criou a fundação das linhas de produção em massa de produtos revolucionando os modos de produção da indústria mundial. Batizada de Modelo TT, a caminhonete tinha um chassi mais longo que o modelo original e espaço para carga e abriu portas para um futuro promissor da categoria pela marca americana que até hoje investe no segmento.



Um dos novos exemplos da boa relação entre a Ford e as picapes é o F-150 Raptor F-22, edição especial inspirada no caça  Lockheed F-22 Raptor. O modelo foi desenvolvido pela Ford Performance e possui um bruta motor 3.6 V6 com turbo duplo, além de algumas mudanças no visual para entrar no clima da aviação de guerra, como a grade do radiador que recebeu uma silhueta da aeronave, os para-lamas de fibra de carbono, logotipos temáticos, faróis de milha em LED  nas portas e pneus extras, bem aos estilo das picapes feitas pela famosa preparadora DeBerti.



As modificações mecânicas fizeram a potência pular de 450 cavalos para 545cv, graças ao kit de duplos intercooler Whipple e ao novo conjunto de escapamento da Borla. A transmissão é feita por um câmbio automático de 10 velocidades. A Ford não divulgou os números de performance da super picape, mas especula-se que ela voe de 0 a 100 Km/h em 4s.




Outros itens que chamam a atenção nesta série especial é feixe de molas traseiros Deaver e amortecedores Fox bypass com compressão ajustável e válvula de rebote. As rodas são cortesia da Innov8 Racing, devidamente calçadas com os pneus Falken Wildpeak, que por sua escondem discos de freios de seis pistões. A picape foi leiloada em um leilão de caridade promovido pela Associação de Aviação Experimental na semana AirVenture em Oshkosh, no estado de Wisconsin. O evento aconteceu no último final de semana e o modelo foi arremato por US$ 300.000





sábado, 29 de julho de 2017

Menos caro: Tesla apresenta o Model 3 carro elétrico de 35 mil dólares




Enquanto que no Brasil os preços dos automóveis sobe desenfreadamente, lá fora parece que acontece o contrário. Para se manter no mercado, os fabricantes têm feito manobras de tornar seus modelos mais acessíveis. O caso mais recente vem da Tesla, que na noite desta sexta-feira, 28, apresentou o Model 3, carro elétrico na faixa dos US$35.000 e que pretende mexer com o mercado americano.

Toda a mídia especializada estava aposta para a apresentação do novo modelo da marca, atualmente considerada uma espécie de Apple automotiva no mercado americano, devido as inovações apresentadas em seus modelos. O sucesso é tanto que este ano a marca conseguiu o título de fabricante de veículos mais valiosa do mercado americano, desbancando as três grandes de Detroit (leia-se General Motors, Ford e Chrysler). E com o Tesla 3, novo modelo de entrada tentará se consolidar ainda mais.




O Modelo 3 estará disponível em duas versões. A Standard mais básica, com preço de US$ 35 mil e autonomia de 354 Km por carga, e a Long Range, com 498 Km de autonomia e preço de US$ 44 mil. Os números de pista são interessantes para este tipo de veículo. O Model 3 Standard faz de 0 a 100 Km em 5s6 e alcança velocidade máxima de 210 Km/h. Já a Long Range os números são 5s1 e 225 Km/h.




O exterior lembra os outros modelos em linha da marca. A lateral segue as linhas arqueadas do Tesla  Model S, já a dianteira possui um desenho limpo sem grade dianteira e faróis bumerangue, similares aos modelos Citroën. As lanternas traseiras lembram as presentes no Model X, mas o caimento do vidro traseiro e o porta-malas carregam os traços do S. O peso varia entre os 1609 kg, na versão Standard, e 1730 kg no Model 3 Long Range.



Internamente, o minimalismo toma conta da cabine. O destaque fica por conta da tela tátil de 15 polegadas que desponta no console central. Por ela será possível ter em mãos todos os  comandos do Model 3. As rodas de 18 polegadas são de série, as de 19 custam um acréscimo de 1.500 dólares. Outro item opcional é o sistema Autopilot que conta com o modo de condução autônoma e custa US$ 5 mil. A Tesla crê que no futuro o modelo poderá ser totalmente autônomo e para isso seriam necessários mais US$ 3 mil para fazer esta conversão.




Na apresentação do Model 3, a Tesla entregou as 30 primeiras unidades o CEO e fundador da empresa, Elon Musk, acredita no crescimento da produção e no sucesso do modelo mais em conta da marca. “A produção crescerá exponencialmente nos próximos meses, com 1.500 carros em agosto e alcançaremos as 20.000 unidades em dezembro”, garantiu.  



sexta-feira, 28 de julho de 2017

Auf Wiedersehen Le Mans: Porsche deixa Campeonato Mundial de Endurance



A hegemonia da Porsche nas 24horas de Le Mans, sobretudo nos últimos 4 anos, sempre marcou a história do fabricante de Sturttgart. Mas a trajetória de sucesso na famosa prova francesa chegou ao fim. A Porsche comunicou nesta sexta-feira, 28, que deixará o CampeonatoMundial de Endurance (WEC) no final desta temporada.

Em comunicado, a Porsche revelou que vai transferir seus protótipos elétricos para a Fórmula E, e explicou que a medida faz parte de um plano estratégico que a marca está envolvida e que, até 2025 veículos esportivos completamente elétricos.      




“A liberdade de desenvolvimento tecnológico é muito atrativa na Fórmula E, que nos oferece um contexto competitivo para apostarmos em áreas como a eficiência, a sustentabilidade e respeito ao meio ambiente”, explicou Michael Steiner, membro da Comissão Executiva de Desenvolvimento da Porsche.



Nas 86 edições da prova de resistência mais famosa do planeta, o time alemão possui 19, sendo o construtor com mais vitórias na corrida. Ano passado a arquirrival Audi anunciou que deixaria as provas do campeonato de endurance. Com a saída das equipes alemãs, resta Toyota herdar o reinado de Le Mans e qual será a reação da organização do campeonato.




 Além da Porsche, a Mercedes também anunciou que vai trocar o Campeonato Alemão de Turismo (DTM), pela Fórmula E, pelo visto foi dado o sinal verde para o desenvolvimento de carros e competição mais voltadas as preocupações com o meio-ambiente.     



Mistério: BMW revela teaser para Pebble Beach, será o novo Z4?




A expectativa dos fãs de carros alemães é pelo retorno da famosa Série 8 da BMW, mas pelo teaser que a marca bávara divulgou o novo V8 não dará as caras no Concurso de Elegância de PebbleBeach, mas possivelmente a nova geração do roadster Z4, que tem lançamento previsto para 2018.

A BMW divulgou a imagem de uma silhueta esportiva, bem mais próxima do Z4 que do novo Série 8. O desenvolvimento do esportivo de entrada da marca alemã, está sendo realizado em parceria com a Toyota, que utilizará da plataforma para lançar a próxima geração do Supra. A capota de lona deve retornar ao Z4.

Sob o capô, a nova geração do roadster deve oferecer opções com quatro e seis cilindros. A versão mais básica deve utilizar um 2.0 turbo com potência de 197 cavalos, a versão M deve ser composta pela unidade que equipa a versão M40i do X4, composta de um 3.0 biturbo com 360cv.


Uma opção híbrida deve fechar as opções de motores, este sim será partilhado com a Toyota, que atualmente vem desenvolvendo protótipos híbridos para competições como as 24 Horas de Le Mans, e que deve ganhar as ruas na nova geração do seu famoso modelo esportivo. O Concurso de Elegância de Pebble Beach abre no dia 17 de agosto, até lá outras imagens do modelo deverão ser reveladas.



Fantasma de fibra: Rolls-Royce revela a oitava geração do Phantom



A partir de 2002 a tradicionalíssima fabricante inglesa Rolls-Royce apresentava ao mundo a nova geração do Phantom, modelo que carrega uma grande história entre os modelos da luxuosa marca, só que desta vez seria apresentado como o primeiro modelo desenvolvido sob a tutela da BMW. Quinze anos depois o modelo é profundamente modificado, chegando a oitava geração do Phantom, dando continuidade a tradição herdada por um de seus modelos mais emblemáticos.  




Na época em que o Phantom da era BMW foi apresentado, a Rolls-Royce tinha, além da Bentley marca que pertencia à marca mas que foi vendida ao Grupo Volkswagen, a renascida Maybach, marca alemã da época mais clássica da Rolls nas primeiras décadas do século XX, e que havia retornado pelas mãos da Mercedes-Benz como principal concorrente, mas as crises do final da primeira década dos anos 2000 fizeram a Maybach se tornar uma espécie de selo premium dos modelos de Stuttgart, deixando a majestade inglesa com a coroa de mais luxuosa marca no mercado, e ela quer afirmar exatamente isso com a nova geração do Phantom.  




E para isso a oitava geração do modelo servirá de base estilística para os futuros Rolls-Royce. Dentre as inovações da carroceria, estão a nova grade dianteira, que foi redesenhada e ficou mais elevada, bem como a clássica estatueta do Spirit of Ecstasy, que ficou mais alta 1,2 centímetros. Os faróis possuem tecnologia lazer e têm alcance de até 600 metros, as lanternas traseiras também recebeu novos contornos e para-choques, que conferem um aspecto mais baixo da tampa do porta-malas e as lanternas foram redesenhadas.       

  




Entre as novidades à bordo, estão as quatro configurações diferentes dos bancos traseiros: além da configuração convencional, o modelo conta com as opções de bancos individuais com apoio de braço central, bancos individuais com um console central fixo ou a inédita opção de banco leito. Todas as configurações contam ainda com uma série de mimos para os ocupantes: mesas dobráveis atrás dos bancos dianteiros, duas telas escamoteáveis, conexão wifi, frigobar, taças de champanhe e de whisky e efeito no teto que imita um céu estrelado.





O Phantom tem mais de 130 quilos de materiais de isolamento acústico e vidros duplos com 6 milímetros de espessura. Os pneus contam com uma camada extra de espuma para reduzir o ruído de rolamento em nove decibéis. Sob o capô, um poderoso motor 6.7 V12 com potência de 571 cavalos, acoplado a um câmbio automático ZF de oito velocidades. Mesmo pesando 2.625 quilos, a marca anuncia bons números de performance, como ir de 0 a 100km/h em apenas 5s3 e velocidade máxima controlada a 250 Km/h.     





A Rolls- Royce lançará o novo Phantom só em 2018, mas ele deverá aparecer no Salão de Frankfurt e, provavelmente, no Concurso de Elegância de Pebble Beach. Na Europa, o preço deve ultrapassar os 500 mil euros e as duas opções de carroceria (convencional e alongada) estarão disponíveis. Resta saber se o modelo honrará, de fato, suas pretensões de melhor automóvel do mundo, título que permaneceu entre os Rolls até os anos 1980. Isso, só o tempo dirá.    



segunda-feira, 24 de julho de 2017

Brincar na Lama: engenheiro alemão monta versão bruta da Mercedes Classe E Wagon All Terrain




Na segunda metade dos anos 1990 as Cross Wagons faziam o maior sucesso. A Subaru foi a primeira a investir no segmento com a Legacy Outback, logo em seguida a Volvo lançou a linha Cross Country e a Audi com a A6 All Road Quattro. No Brasil, a Palio Weekend Adventure e a Parati Crossover tornaram sinônimo deste nicho, que logo foi tomado pelos Crossover e SUVs compactos encerrando de vez a era das wagons com vocações de todo terreno. Mas na Europa o mercado parece vivo, basta vermos a robusta MercedesClasse E All Terrain 4X42, que tem em seu DNA o gene 4X4X2 da ClasseG 500.




O projeto do modelo é do engenheiro Jürgen Eberle, que desenvolve projetos sob os modelos da Classe E, e teve início seis meses atrás. Primeiramente, Eberle decidiu aumentar a distância entre a carroceria e o solo em apenas 40 milímetros em seguida o engenheiro achou que poderia dar um passo a diante: montar o modelo sob a plataforma do Classe G. O trabalho com esta experiência parecia difícil, então Eberle pediu ajuda de alguns colegas que investiram no nascimento do Classe E All Terrain 4x42.





Perto da versão convencional da Classe E Wagon, o All Terrain 4x42 parece um monstro. A perua ficou 200 milímetros mais larga, graças aos novos para-lamas feitos em de fibra de carbono, e ficou 400 milímetros mais distante do solo, quase o triplo do All Terrain original, que é de 160mm. Se por fora o modelo se comporta de forma rústica, internamente o luxo típico dos Mercedes-Benz continua quase que intocado.    



As mutações feitas no modelo são capazes de fazer a alegria de vários condutores. O modelo é capaz de vencer obstáculos como caminhos rochosos, troncos caídos, rios com pequenas profundidades, arbustos, descidas íngremes e outros desafios que são ultrapassados com facilidade pelo 4X42 . Tudo isso graças ao auxílio das rodas de 20 polegadas aliadas ao sistema de tração 4x4 controlada eletronicamente, que contribuem para a aderência da station ao solo e que em nada deve aos SUVs maiores com vocações off-road da Mercedes e de outros fabricantes.    




O 4X42 é movido a um motor 3.0 a gasolina, diferente dos All Terrain convencionais, que têm somente opções de motores a diesel, o que contribui para que não falte torque para enfrentar terrenos menos amistosos. Diferente dos modelos de linha, o All Terrain 4X42 não possui bloqueios mecânicos de diferenciais aliado ao câmbio de baixa relações faz o modelo equiparar-se em desempenho a off-roads maiores.



As peripécias que Eberle e seus amigos fizeram no Classe E All Terrain, parecem ter animado a diretoria da Mercedes, que pensa seriamente em produzir um pequeno lote do experimento para coloca-los à venda, sem contar interessados de todo o mundo em adquirir o 4x42, talvez por saudosismo das station-wagons desbravadoras de décadas atrás, ou por fiéis apoiadores da causa Save the Wagons!    





Moshimoshi! : Suzuki divulga primeira imagem do novo Swift Sport




O Salão de Frankfurt se aproxima, e algumas novidades da mostra alemã começam a surgir na rede. A Suzuki se antecipou e divulgou a primeira imagem da versão Sport do Novo Swift, modelo que tentará rivalizar com a versão GTI do Volkswagen Up! e do novo Ford Fiesta ST, na Europa

A imagem de perfil mostra um aspecto agressivo na carroceria. A dianteira recebeu uma nova grade no estilo bocão, o spoiler dianteiro e as saias laterais arrematam a esportividade do pequeno japonês, bem como as rodas de liga leve com tratamento diamante. Espera-se que sob o capô, a Suzuki volte a oferecer o motor 1.4  turbo Boosterjet, um quatro cilindros a gasolina com potência de 138 cavalos, mas ajustado para receber 4cv a mais na potência.  


Internamente o modelo deve receber detalhes mais esportivos e itens tecnológicos como o sistema de informação e entretenimento ativado por uma tela tátil de 4,2 polegadas, incorporada ao painel de instrumentos, além de conectividade Bluetooth, Apple CarPlay e Android Auto.  Já o preço do modelo na Europa, será próximo dos 18 mil euros. Embora seja mostrado em Frankfurt, o modelo deverá ser lançado em 2018, provavelmente no Salão de Genebra.   


Apenas 30: Bentley revela edição do Continental GT conversível inspirada em iates




Décadas atrás a H.J. Mulliner era a famosa fornecedora de carrocerias para os carros da alta realeza automotiva britânica, os Bentley, hoje a marca inglesa controlada pelo Grupo Volkswagen designa versões mais exclusivas de seus modelos com o sobrenome Mulliner, que traz em seu DNA uma trajetória de luxo e alta qualidade. O mais novo modelo a receber a nomenclatura é a versão conversível do Continental GT, batizada de Galene Edition, edição que se inspira nos iates de luxo que lotam as Rivieras durante o verão europeu.    





Para desenvolver a Galene Edition, os engenheiros da Bentley foram procurar os experts da Princess Yacht, estaleiro baseado em Plymouth no Reino Unido, criada em 1965 e responsável pelas melhores embarcações com as cabines mais luxuosas da Europa e bastante conhecida em todo o planeta. A começar pela cor da carroceria em um exclusivo tom branco brilhante (chamado de Glacier White), bastante comum em iates, e detalhes como os frisos em azul brilhante uma referência ao estilo navi dos navegadores.





Por falar em azul, a cor também está presente na capota do Galene Edition, o compartimento de bagagens tem tratamento em Nogueira, lembrando o interior dos iates, material que também orna o console central. Os bancos e o revestimento dos painéis laterais possuem Linho e Portland, materiais utilizados nas super embarcações e peças artesanais no painel assinadas pelo ilustrador espanhol Jaume Vilardell . Apenas as imagens desta nova variante do Continental GT conversível que terá apenas 30 exemplares todos equipados com um motor 4.0 V8 de 500 cavalos. O preço ainda é um mistério.